Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]


Deitar tudo cá para fora.

here in littlebubble, em 29.12.12

Sinto um peso tão grande no peito.

Fui jamtar aos meus pais e não via a hora de me vir embora de lá. Estou continuamente com vontade de chorar e para fazê-lo, só quero estar sozinha. Porque é que não consigo ser feliz? Porque é que nunca consegui?

Continuo a rever na minha cabeça tudo o que se passou e quando começou a correr mal. Não o consigo evitar. Odeio perder oportunidades. Odeio perder pessoas. Odeio perder.

 

Sei agora que não se foi embora para sempre. Há-de voltar, de vez em quando. Será a mesma coisa? Não posso ficar à espera que sim, mas também não tenho para onde ir. Queria ter falado com ele, de forma séria sobre o que vamos fazer a seguir, mas isso nunca foi uma questão, porque nunca houve um "depois" a discutir. No entanto, nunca aqui estive e portanto não sei. Apesar de tudo, está léguas à minha frente. Está a muitos quilómetros daqui. Fisicamente, sim. Pessoalmente, sim, também.

 

Vou tirar uma pausa. Vou tentar não pensar mais nesta situação. No entanto, toda a minha vida fingi que os problemas não estavam lá, fingi que não era nada comigo, que se não lhes ligasse, eles acabavam por desaparecer sozinhos. Mas isso não acontece. A maioria dos problemas, quando ignorados, tendem a aumentar, não a desaparecer. Começam a descer pela nossa vida qual bola de neve que aumenta e aumenta, arrastando outras situações que inicialmente nada tinham a ver com o problema inicial e arrasam tudo. Devia falar sobre isto com alguém. Devia soltar os problemas para o infinito, livrar-me deles. "Falo" aqui, falo com a V. Devia ter falado com ele? Nunca o consegui fazer. Fico muda. Fico silenciosa. Ou falo de outras coisas. Pelo medo do ridículo. Pelo medo do "futuro? mas qual futuro? nunca foi isso que esteve em causa".

Se calhar era melhor que se fosse embora definitivamente. Ou será o destino a dar-me nova oportunidade? Ou sou eu que continuo a fazer romances apenas na minha cabeça?

Acho que tenho que parar de viver na fantasia e começar a viver no mundo real.

Já sei a minha primeira resolução de ano novo. Não posso continuar com este peso em mim. Quero uma vida normal, como qualquer outra pessoa. E para tal, preciso de fingir que isto não é um problema, quando é e me enche de raiva, frustração, medo...

Já permiti que estragasse a minha vida perfeita uma vez. Não! Duas vezes! Já permiti que acabasse um romance antes de ter começado. Já chega.

Autoria e outros dados (tags, etc)

às 22:29


Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.



...retalhos de pensamentos, post its de emoções, pedaços de músicas, imagens que falam comigo e tudo mais aquilo que fizer a minha mente fervilhar...

E sobre mim...

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Dezembro 2012

D S T Q Q S S
1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031



Back there

  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2013
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2012
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D