Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


2013, please be awesome!

here in littlebubble, em 31.12.12

Depois do que espero que seja o meu último ataque de choro de 2012, a calma volta a instalar-se em mim.

Foi, sem dúvida, um dos piores anos que já passei. Desde o acidente da minha avó, logo nos primeiros dias de Janeiro, mais uma doença para a minha mãe, a minha separação, a do meu irmão também, um acidente de carro... Pequenos acidentes isolados, mas que custam e magoam, ainda para mais se já houver uma mágoa e uma tristeza prévia.

 

Foi um ano de muitos azares, muitas desilusões, muito choro, muita tristeza.

Foi um ano em que me senti infinitamente, terrivelmente sozinha.

Foi o ano em que pus tudo em causa. A vocação, a sanidade, o amor, a vontade de continuar, a ambição, as amizades...

 

nobody said it was easy. no one ever said it will be this hard.

 

Espero para 2013 um ano melhor. Aliás, só pode mesmo ser. Mas não vou deixar tudo nas mãos do destino. Já decidi que, este ano, vou lutar por mim, pela minha felicidade.

Muito raramente faço resoluções de ano novo. Eu que adoro listas, porque não as faço?

Acho que a razão mais óbvia é porque não acredito em mim e nas minhas capacidades.

 

Mas para 2013, já decidi.

- vou começar a gostar de mim

- vou cuidar do meu corpo e da minha imagem

- vou deixar de roer os dedos

- vou controlar as emoções e deixar de ser uma chorona

- vou fazer amigos novos

- vou resolver o meu problema

- vou fazer exercício físico e ter cuidado com a alimentação

- vou fazer coisas que gosto. Porquê deixar para outra altura?

- não vou deixar de fazer nada só porque não tenho companhia

- não vou implorar que estejam comigo. Quem quer estar, está.

- vou acabar o curso de fotografia

- vou ler mais (mínimo: 1 livro por mês)

- vou estudar

- vou actualizar o meu curriculum e mudar

- não vou ter medo de mudanças

- vou arriscar

- vou ser mais feliz

- vou dançar mais vezes

- vou deixar de me preocupar tanto

- vou fazer o workshop de sushi

- vou fazer uma garrafa de memórias boas (porque tenho uma tendência incrível para apenas me lembrar do mau... e como tal, vou encher uma garrafa com todos os pedacinhos de bem que me vão acontecendo ao longo do ano, para nunca me esquecer deles!)

- vou a londres

- vou-me impor mais

- vou crescer

- vou voltar a amar

- vou fazer coisas fora da minha área de conforto

- vou ver as mudanças como um desafio e não como uma barreira

- vou-me superar

- vou-me divertir!

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

às 17:07

Tomar e manter decisões.

here in littlebubble, em 31.12.12

Porque é que não consigo resistir?

Porque é que penso que não, digo que não, decido que não e depois acabo por fazê-lo?

 

Não foi tudo da minha cabeça.

Foi ele que me convidou para almoçar a primeira vez, foi ele que comprou uma camisola roxa de propósito para o nosso primeiro jantar juntos porque lhe tinha dito que gostava dessa cor, foi ele que, depois de me queixar que tinha estado a olhar demasiado tempo para a televisão ao almoço, me descreveu todos os meus movimentos nesse almoço, que brincos levava e a forma como a cor dos meus olhos mudavam ao sol, foi ele que me agarrou a mão no cinema.

 

Porque é que agora parece que sou só eu? Estou-me a sentir uma maluquinha que imagina coisas... Estou-me a sentir como uma perseguidora, só falta mesmo a ordem de restrição... Parece que sou só eu. E decido parar de tentar. Então porque é que não consigo?

Ontem um amigo meu, quando lhe contei sobre este affair, perguntou-me se eu achava que ele também sentia a minha falta. A minha resposta foi o mais sincera possível "gostava que sim, acho que não, mas não sei ao certo". E é isso mesmo! Gostava imensamente que sim. Que ele sentisse a minha falta e que arranjássemos forma de nos conhecer melhor e evoluir esta relação sem perguntas para algo mais, simplesmente pelo prazer da companhia um do outro e do potencial que pudemos ter visto aqui. Sim, há passado, há bagagem, há história ainda mais resolvidas dos dois lados. Mas seria possível esquecer tudo isso e apreciar uma coisa nova? Eu gostava muito que sim. Mas é como digo, acho que não, mas não sei ao certo.

 

Se calhar foi um timing que passou, um momento para apreciar e que terminou. Mas gostava que ele mo dissesse. Que a decisão, o final, não ficasse, simplesmente, no ar. Pensei em convidá-lo para jantar um dia destes mas não sei ainda...

Já tinha decidido não lhe dizer mais nada até que ele me dissesse a mim. Não quero passar por desesperada... Mas realmente não resisti. E depois sinto-me mal, porque ele não respondeu... sinto-me mal, sinto-me estúpida. O meu amigo G disse-me, em resposta à minha resposta "talvez sim :) e até saberes ao certo, não te feches no teu mundo". Como ele me conhece bem... E foi também isso que me levou a dar mais um passo. Em falso. Estou cansada de perder oportunidades e achei que não perdia nada em tentar, mas depois sinto-me estúpida. E agora vou realmente esperar até que ele me diga algo. Porque não vou ser eu novamente a fazê-lo.

 

Fica então aqui registada essa decisão. Vou dando novidades sobre este assunto.

Autoria e outros dados (tags, etc)

às 00:07


...retalhos de pensamentos, post its de emoções, pedaços de músicas, imagens que falam comigo e tudo mais aquilo que fizer a minha mente fervilhar...

E sobre mim...

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Dezembro 2012

D S T Q Q S S
1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031



Back there

  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2013
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2012
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D