Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


O dia em que decidi fazer arroz doce. Adorei.

here in littlebubble, em 30.06.12
Depois de uma semana looonga, que não teima em acabar, ao chegar a casa do trabalho, apeteceu-me arroz doce. Obviamente não tinha nada feito e como já devolvi a MFP aos meus pais, resolvi fazer arroz doce à moda antiga (btw, foi a primeira vês que fiz!)
Está óptimo! Já comi uma tacinha... É este o seu aspecto final!
Receita:
ingredientes
  • 1 casca de limão
  • 1 colher (sopa) de manteiga
  • 1 pau de canela
  • 1 pitada de sal
  • 125 grs de arroz
  • 150 grs de açúcar
  • 3 gemas
  • 7,5 dl de leite
  • canela em pó p/ polvilhar

modo de confecção


Levar ao lume um tacho com água abundante e sal.

Quando a água ferver, juntar o arroz e, assim que levantar fervura, deixar cozer durante 2 minutos.

Entretanto, levar o leite a ferver com o pau de canela e a casca de limão.

Escorrer o arroz muito bem e mergulhá-lo no leite a ferver.

Deixar cozer, destapado, em lume brando. 

Retirar do lume e juntar o açúcar, mexendo rapidamente.

Juntar depois as gemas e a manteiga.

Levar o arroz ao lume, muito brando, durante uns minutos sem deixar ferver.

Dispor em taças ou em pratinhos, polvilhando com canela em pó.

Autoria e outros dados (tags, etc)

às 16:19

Domingo: dia para vegetar

here in littlebubble, em 25.06.12

Dia de dormir até tarde.

Dia de ir almoçar a casa dos pais.

Dia de passar a tarde em casa a ver séries e a andar de bicicleta.

Hoje terminei de ver a última temporada de sempre do ER - Serviço de Urgência, série que amei desde o day one. E foi tão bom rever as antigas personagens: A Kerry Weaver, a Elizabeth Corday, o Doug Ross, o Peter Benton, a Rachel Greene e o Mark Greene, a Carol Hathaway e claro, o John Carter. Foi bom ver que todos voltaram a "casa" para alguns episódios da última temporada.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

às 01:13

Sexy.

here in littlebubble, em 23.06.12

Autoria e outros dados (tags, etc)

às 01:24

21 de Junho: Dia do Sol Parado

here in littlebubble, em 22.06.12

Sempre que chegamos a dia 21 de Junho, lembro-me do Gil.

 

Sempre adorei ler. Desde muito pequena que adorava que o meu pai e a minha mãe me lessem histórias. E eu não era daqueles bebés que adormeciam ao fim da primeira página. Não! Eu queria mais e mais e as histórias contadas tinham que ser tiradas dos seus moldes vulgares, sendo-lhes adicionadas personagens, um enredo mais complexo e um sem fim de episódios e histórias anexas.

E essa paixão foi muito inflamada quando aprendi a ler e a ser capaz de me divertir no mundo dos livros sozinha.

No início da minha adolescência eu e a minha prima trocávamos livros e o gosto pela leitura era mútuo. Tomámos conhecimento de uma colecção de livros chamada Triângulo Jota, nos quais dois irmãos, a Joana e o Jorge e ainda o seu amigo Joel vivam aventuras incríveis.

Fui num desses livros que entrou o Gil, o rapaz dos fósforos. O Gil era um rapaz órfão, nascido a 21 de Junho que se sentia estranhamente atraído pelo fogo. Tal como ele, todos os rapazes órfãos, nascidos nesse dia fatídico estavam marcado para serem sacrificado num ritual do Dia do Sol Parado, no ritual a Kali. A Joana teve uma grande paixão pelo Gil, assim como eu e a minha prima :)

 

E como tal, neste dia, lembro-me sempre do Gil.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

às 01:15

Activa: Divórcio: homens e mulheres separam-se por motivos diferentes

here in littlebubble, em 21.06.12

Acabei de ler a seguinte notícia:

 

Que as mulheres e os homens procuram coisas diferentes numa relação fica claro quando essa relação acaba. Segundo um estudo dos sociólogos Ana Reis Jorge e Manuel Carlos Silva, apresentado no VII Congresso de Sociologia que decorre no Porto, as mulheres apontam a falta de comunicação no casal como principal razão para se divorciarem, enquanto os homens indicam o fim do amor.

Saliente-se que para 21% das mulheres a violência física foi a razão para o fim do casamento, e para nenhuma a separação foi um modo de legalizar outra união, facto apontado por 9% dos homens.

15% das mulheres indicou ainda a perda de independência. Nenhum dos homens se lembrou de tal coisa...

 

Para ambas as partes, no entanto, o divórcio aparece como um alívio. Apesar de se ter registado uma ligeira descida dos divórcios, a maioria dos especialistas atribuem-no aos efeitos da crise, que torna mais difícil reorganizar a vida e encarar despesas a solo...

Fim da comunicação? Fim do amor? A isso tudo chamo pouca dedicação à relação. Pouco esforço! Toda a gente quer tudo facilitado, até as relações. Sem esforço, sem trabalho suplementar, fácil, simplesmente. E é por isso que as pessoas acham tão estranho quando alguém casa sem nunca ter morado antes com o respectivo cônjuge. Mas nas relações também tem que haver test-drives? Testes prévios? Não devia ser o amor algo tão transcendente que se sabia logo com o olhar que era meant to be? E for ever and ever?
Devia ser.
Ler mais da notícia em http://activa.sapo.pt/sexo/relacionamento/2012/06/20/divorcio-elas-separam-se-por-razoes-diferentes-das-deles#ixzz1yNZ96Nzd

Autoria e outros dados (tags, etc)

às 00:27

The Black Eyes Peas: Can you meet me half way ?

here in littlebubble, em 20.06.12

Hoje foi um dia marcado também por um reencontro, uma aproximação que não esperei possível.

Eu e a minha prima P, tendo apenas três anos de diferença, fomos sempre muito próximas desde pequenas. Morávamos perto uma da outra, brincávamos sempre juntas, passávamos férias juntas...enfim, quase inseparáveis.

Mas se antes dos dez anos essa diferença de idades não é notada, com o entrar na adolescência, o fosso fica muito maior [eu já ando no ciclo. não posso ser vista com crianças...] e o afastar leva a diminuição do contacto, dos interesses comuns, do à-vontade e da amizade até. As circunstâncias da vida afastaram-nos fisicamente e emocionalmente também.

E com isto se passou uma década.

 

Hoje fomos sair apenas as duas. Fomos às compras. Falámos como duas amigas, partilhámos histórias, memórias do passado, expectativas e planos de futuro.

 

Será o início de uma nova/velha amizade?

Autoria e outros dados (tags, etc)

às 00:46

William Faulkner: Don't bother just to be better than your contemporaries or predecessors. Try to be better than yourself.

here in littlebubble, em 19.06.12

Irrita-me quando só sou eu me preocupo. Quando aquilo não é nada meu e quem se devia preocupar, está demasiado ocupada em parecer ocupada. Irrita-me a atitude do "depois-faço-depois-ligo-depois-trata-se-depois-eu-resolvo" e continuamos na molenguice do deixa para depois, na esperança que as coisas se resolvam sozinhas, por obra divina.

 

Irrita-me ter que trabalhar sem as condições adequadas para tal, ter constantemente a autoridade diminuída, cada vez menos acesso a informações de que preciso, ter que sempre dizer que não e comprometer o meu trabalho em relação aos utentes, quando eu tenho, tento imenso, mas vejo-me impedida por quem manda.

 

Irrita-me ninguém querer saber nem ninguém saber.

 

Irrita-me toda a revolução contra a evolução.

 

AAAhhh...há dias assim.

Autoria e outros dados (tags, etc)

às 19:38

G: Não sentes grandes momentos de solidão?

here in littlebubble, em 19.06.12


Hoje, ao falar ao telemóvel com um grande amigo meu, que me perguntou, precisamente "Como estás, diz lá? Não sentes grandes momentos de solidão?" apercebi-me que tenho muita gente preocupada comigo. Além dos meus pais, principalmente a minha mãe que me convida para lá ir jantar e almoçar todos os dias e me liga no mínimo três vezes ao dia, tenho também muitos amigos, que se preocupam, que me ocupam, me divertem e distraem. É nos momentos parados que me sinto sozinha. Nos fins de semana sem planos, nas horas mortas do fim do dia, quando penso em cozinhar, quando não se ouve nada além do silêncio que ecoa juntamente com a ventoinha do meu computador. Sinto-me sozinha, às vezes desamparada e triste. Mas há momentos em que penso que foi o melhor. Antes agora, antes já. Porque ainda existem muitos caminhos a percorrer, muitas coisas a ver, muita gente a conhecer. E há tanta coisa interessante por aí...


Ontem, ao falar com a V sobre o problema dos grupos de amigos que parece que estagnam quando se sai da adolescência, ela falou-me de uma iniciativa em que participou em que cada pessoa pertencente ao grupo levava para um evento combinado, fosse saída, cinema ou piquenique, um convidado, uma pessoa fora do grupo que ninguém conhecesse. Desta forma, existe possibilidade de contrariar esta tendência de estagnação e dá também oportunidade aos nossos amigos de conhecerem outras pessoas pertencentes à nossa vida, havendo oportunidade de alargar ainda mais o círculo. Achei a ideia completamente interessante e inovadora na medida em que todos os grupos de amigos em que me insiro estão completamente estagnados! De entre as minhas amigas da faculdade e as pessoas com quem ainda me dou do secundário, não há quase ninguém que tenha namorado novo! Está tudo mais que comprometido há ANOS! Ninguém entra nem sai para os grupos... E assim sendo, como fazem as solteiras do grupo para conhecer pessoas? Irrita-me que não pensem nisso!

Autoria e outros dados (tags, etc)

às 00:18

Trendy Twins: Passatempo!

here in littlebubble, em 18.06.12

http://trendy-twins.blogspot.pt/2012/06/passatempo-pretty-bunnies.html

 

Passatempo do blog Trendy Twins em parcedia com a Pretty Bunnies :)

Autoria e outros dados (tags, etc)

às 23:04

Cosmopolis

here in littlebubble, em 17.06.12

 

 

Diz o IMDB: Cosmopolis acompanha a história do jovem génio multi-milionário Eric Packer (Robert Pattinson), que pretende atravessar Manhattan numa limusine para encontrar um corte de cabelo perfeito. Ao mesmo tempo, as finanças estão atravessando uma crise sem precedentes. Ele ainda não sabe, mas em menos de 24h todo o seu mundo vai ruir.

 

Opinião: Filme demasiadamente intelectual com longos monólogos e diálogos que pretende dissecar o mundo econónico e a crise que o atravessa ditos por personagens, só por si, completamente fora do real do cidadão comum. As suas conversas são mantidas sem qualquer tipo de sentimento, objectividade ou, sinceramente, interesse ou sentido. O fim, embora igualmente enfadador, salvou um pouco a honra por ter tirado o público do estado de "uau-isto-é-terrivelmente-intelectual-mas-deixa-me-estar-calado-porque-não-estou-a-perceber-nada" para um riso incontrolável (mais, descontrolado após tanto controlo durante grande parte da película) com tanta parvoíce junta. Um fungo falante? Um tiro na mão só para conhecer novas sensações? Um ataque de pânico coreano? Tiros que, incrivelmente, não atingem ninguém?

 

E os bilhetes de cinema tão caros...

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

às 16:46

Pág. 1/2



...retalhos de pensamentos, post its de emoções, pedaços de músicas, imagens que falam comigo e tudo mais aquilo que fizer a minha mente fervilhar...

E sobre mim...

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Junho 2012

D S T Q Q S S
12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930



Back there

  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2013
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2012
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D